Aqui já usei quase todo o meu repertório masoquista e desfiz boa parte das minhas ideias comunistas. Esse espaço é meu, mas desejei compartilhá-lo com o mundo, se você faz parte dele...Então seja muito bem vindo(a)!

quarta-feira, 17 de março de 2010

Estranho

A alegria se transformou em melancolia. O exacerbado léxico em palavras inúteis e desajeitadas. Os pensamentos ansiosos em espaçados e vagos momentos de ócio, puro ócio. Um vácuo a tomou, um vácuo incomum, à noite.

Ouvia música tentava se encher de alguma coisa que não fosse ele. Mas se esvaziava, era vão tentar. Se esvaziava de si mesma e se embebia dele, no calor dos espaços vazios onde ele estava.

E um estranhamento de emoções a tomava.

Se estremecia diante das expectativas que aquele outro estranho tinha trazido assim tão repentinamente. Fazia calor, um calor danado quando percebia aonde tinham ido parar seus pensamentos. Felicidade e melancolia podiam se misturar dessa forma? Ela não conseguia responder.

Estava feliz. Por si...Por ele! Talvez a melancolia viesse do calor que alterou alguma parte dela. A bile negra, quem sabe. Quem sabe? Estranho seria ter a resposta!

2 comentários:

  1. Lindo, trágico, depressivo, comovente. Vai além. Nasce o sentimento, no leitor, de cortar os pulsos e manter-se vivo (?). Lágrimas de sangue.

    A essência da coisa me fascina. É ela que me mantém leitora assídua desse blog. Você não quer agradar a massa alienada. Apenas quer, de maneira singela e complexa, traduzir em letras a confusão mental que aflige grandes gênios. (Isso acontece comigo sempre.)rsrsrs


    Não fique constrangida. Não seja modesta. Apenas sorria e acene. xD

    ResponderExcluir